Advocacia do futuro: entenda como a tecnologia vai mudar a rotina de escritórios e advogados

Advocacia do futuro: entenda como a tecnologia vai mudar a rotina de escritórios e advogados

Conheça os impactos de novos processos de gestão e do uso de ferramentas jurídicas inovadoras.

A cada dia que passa as novidades que aterrissam no nosso cotidiano nos mostram como a tecnologia é capaz de mudar mercados. Anos atrás, a única alternativa de transporte coletivo individual era o táxi, que tinha um preço pouco acessível e era usado apenas para emergências. Com a chegada dos apps de táxi e de serviços de transporte, como Uber e Cabify, a sociedade rapidamente se modificou para adotar a novidade, o que desestabilizou o mercado dos taxistas, que precisou lidar com novidades tecnológicas (como o uso do Waze) e melhorar seu serviço para atender a uma clientela cada vez mais exigente.

 

A toada é a mesma em outros setores, como a música (que trocou os CDs pelo mp3 e mais tarde pelos serviços de streaming como Spotify e Deezer), serviços de localização do tipo GPS (que com a chegada do smartphone se viram substituídos por aplicativos), entre tantos outros. E, é claro, essas alterações causadas pela tecnologia também chegarão ao mercado jurídico.

O desafio do mais por menos

Os advogados prestam um serviço de grande valor agregado, altamente personalizado e tratado de forma individualizada. No entanto, os últimos anos trouxeram uma maior pressão por preços menores e mais métricas que comprovem a qualidade e a execução do trabalho jurídico – o que na gíria de mercado tem sido conhecido como o desafio do “more for less”, ou mais por menos.

 

A cobrança de mais qualidade no serviço, com a entrega de indicadores de performance e relatórios cada vez mais detalhados, faz sentido com as novas necessidades dos clientes e o alto volume de dados disponíveis. Contudo, essas entregas se tornam inviáveis sem a utilização de processos tecnológicos que automatizem processos e indicadores, de forma a tornar o modelo de negócios dos advogados mais competitivo nos dias atuais.

Personalizando a eficiência

Se tornar competitivo não significa necessariamente se tornar robótico e impessoal. O trabalho personalizado do advogado, que trabalha cada caso com esmero e cuidado especial, continua imprescindível para o desenvolvimento da sociedade e das relações comerciais e pessoais.

 

Ainda assim, é inegável que existem muitos processos dentro desse trabalho que podem ser melhorados, como é o caso de formatação de documentos, buscas por cláusulas padrão, pesquisa manual de jurisprudência, emissão de relatórios em excel, entre outros. Com cada vez mais cobrança por uma melhor performance (ou gestão dela) e honorários cada vez mais “espremidos” entre leilões e pedidos de descontos, o desafio principal é tornar a rotina do trabalho dos escritórios de advocacia mais moderna e veloz, de forma a atender melhor seus clientes, melhorar suas margens e se destacar da concorrência.

Pequenas mudanças, grandes impactos

Adotar processos tecnológicos não precisa ser algo de outro mundo. Tornar edições de documentos colaborativas, por exemplo, com o uso do Google Docs, já pode acelerar seus processos e tornar os documentos mais facilmente buscáveis e editáveis entre a equipe. O hábito de comentar na lateral dos documentos também ajuda a tornar o conhecimento mais amplamente divulgado, evitando lentidões ou ajudando a treinar profissionais iniciantes.

 

Aos poucos, é possível ir descobrindo outras ferramentas que auxiliem a tomada de decisões – como o uso de ferramentas que ajudem a prever a probabilidade de um juiz dar ganho ou perda de causa em um determinado processo – e a automatizar comunicações em processos muito frequentes – ao usar uma plataforma para gerenciar seus acordos e negociações, por exemplo

 

Com tanta tecnologia e softwares específicos à disposição, também é necessário desenvolver a auto-avaliação: cada profissional e escritório precisa olhar para a própria rotina e reconhecer que atividades tomam um tempo demasiado sem trazer um valor agregado (como a elaboração de peças processuais idênticas, criação de contratos da mesma natureza, negociação de acordos em contencioso de volume, emissão de relatórios para clientes, pagamento de custas, protocolos, entre outros) ou que processos poderiam ser feitos com maior velocidade por um robô ou algoritmo.

 

Em escritórios mais avançados, são utilizados serviços e softwares que monitoram o desenvolvimento das atividades para detectar os pontos de gargalo e oferecer potenciais soluções para esse “engarrafamento” na rotina de trabalho. A partir desses dados, fica mais simples entender a taxa de retorno de cada área ou setor dentro de um escritório ou departamento jurídico, o que ajuda tanto a demonstrar sucessos quanto detectar chances de melhorias futuras.

 

Adicionar processos mais modernos e tecnológicos aos ambientes de trabalho é um movimento irrefreável, e os escritórios que adotarem as ferramentas antes terão vantagem competitiva, pois serão mais rápidos e eficientes, além de conseguirem oferecer relatórios e índices de performance que demonstram o sucesso das suas atividades para seus clientes, que cada vez mais buscam por advogados modernos, eficientes, transparentes e, principalmente, orientado aos objetivos do negócio.

Quer conhecer outras formas de digitalizar a rotina do seu escritório e se tornar mais eficiente nos processos jurídicos? Confira outros artigos da JUSTTO no nosso blog, ou clique aqui para pedir uma demonstração de nossa solução!

Post anterior Próximo post